Passadas as eleições, MPCE e Governo do Ceará traçam planos para fiscalizar e proibir aglomerações - Blog Edison Silva

Passadas as eleições, MPCE e Governo do Ceará traçam planos para fiscalizar e proibir aglomerações

Foto: Divulgação/Senado Federal.

Passadas as eleições municipais no Ceará, o Ministério Público do Estado (MPCE) e o Governo estadual, por intermédio da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), traçam plano de fiscalização de aglomerações ocasionados por eventos e festas de fim de ano. Objetivo é fazer cumprir os Decretos Estaduais publicados desde o início da pandemia do coronavírus, no mês de março.

O planejamento foi discutido durante reuniões online realizadas na manhã desta sexta-feira (11), com a participação do coordenador do Centro de Apoio Operacional da Cidadania (Caocidadania), promotor de Justiça Eneas Romero, do titular da Sesa, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, e de representantes da Sesa e da Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis).

Por meio de atuação coordenada entre a Sesa e a Agefis, em Fortaleza, serão fiscalizados eventos em diferentes áreas da Capital, de acordo com o histórico dos locais onde há mais registro de aglomerações e com georreferenciamento.

Nas cidades do interior do Ceará, a atuação será feita pelo MPCE, pelas Vigilâncias Estadual e Municipais, e pela Polícia Militar.

De acordo com o promotor de Justiça, Eneas Romero, a previsão é que estas ações já comecem a partir deste fim de semana, dias 12 e 13/12, de maneira que haja atuação preventiva e repressiva durante todo o período de fim de ano, em especial em relação às festas de Natal e de Ano Novo.

“O plano é necessário porque a situação epidemiológica é mais preocupante e há muitas confraternizações de Natal, festas e também reuniões que podem representar um grande risco de aumento de contaminação ainda maior e eventualmente colapsar a rede de saúde”, declara o membro do MPCE.

Durante o período eleitoral não se teve notícia do MPCE e nem da Secretaria de Saúde do Estado realizando operações, com o apoio da Polícia Militar, para coibir os comícios presenciais, as caminhadas, carreatas e e outros tipos de ações promovidas por candidatos e coligações.

Com informações do site do MPCE.

Deixe uma resposta