Diferente dos estaduais do PSL, Heitor Freire não vai para o Aliança Pelo Brasil, futuro partido de Bolsonaro - Blog Edison Silva

Diferente dos estaduais do PSL, Heitor Freire não vai para o Aliança Pelo Brasil, futuro partido de Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro tem se afastado de alguns deputados do PSL, dentre eles, o cearense Heitor Freire. Foto: Divulgação.

Os deputados André Fernandes e Delegado Cavalcante, conforme adiantado pelo Blog do Edison Silva, devem deixar os quadros do PSL, assim como o presidente da República, Jair Bolsonaro. No entanto, o presidente do partido no Ceará, o deputado federal Heitor Freire, permanecerá na legenda.

Bolsonaro anunciou, nesta terça-feira (12), para um grupo de deputados do PSL, que está deixando o partido e vai fundar uma nova agremiação, a Aliança Pelo Brasil, para onde irão os seus seguidores, antes mesmo, como admite, das eleições municipais do próximo ano.

Apesar de permanecer na legenda, nacionalmente presidida por Luciano Bivar, desafeto de Jair Bolsonaro, Freire afirmou que sempre foi e continuará apoiando Bolsonaro, defendendo as pautas do Governo na Câmara dos Deputados, e sendo leal nas votações. “Crises sempre acontecem, e são normais em vários ambientes, dentre eles o político”, justificou.

Deputados do PSL no Ceará deixarão o partido, caso Bolsonaro confirme desfiliação

Freire rompeu com seus colegas de partido no Ceará, André Fernandes e Delegado Cavalcante, que, inclusive, já fizeram algumas denúncias de irregularidades contra o dirigente do PSL no Estado. De acordo com o parlamentar, o distanciamento do presidente da República para com ele é compreensível. Ele acredita que, com o passar do tempo, as coisas devem ser “resolvidas, esclarecidas e superadas”.

Recentemente, André Fernandes denunciou que Heitor Freire havia vazado áudios de conversas com o presidente Jair Bolsonaro na qual o presidente articulava a formação de um bloco para colocar o filho, Eduardo Bolsonaro, na liderança do partido na Câmara Federal.

“Considero alguns desgastes, sobretudo quando os trabalhos estão em fase inicial, previsíveis. Já passei por momentos semelhantes algumas vezes, quando acompanhei a saída de Bolsonaro do PP, depois no PSC e Patriota. Agora vejo isso se repetir no PSL. Então, compreendo que esse desgaste, e mesmo certo distanciamento, são naturais no começo. Com o tempo as coisas se resolvem, são esclarecidas e superadas”.

Heitor Freire afirmou que o que não vai mudar em seu comportamento é a manutenção do apoio presidente da República e ao Governo Federal. Informações da imprensa nacional, nesta terça-feira (12), destacaram que Bolsonaro proibiu a presença do deputado cearense, assim como de outros parlamentares, no encontro de egressos do PSL marcado para a tarde desta terça-feira.

Segundo Freire, as informações divulgadas pela mídia não são oficiais, e por isso “não podem ser consideradas verdadeiras”. “Independentemente disso, eu já comuniquei que não vou sair do PSL, então, não há necessidade de estar presente em qualquer reunião de convencimento. Estar no partido A ou B não vai mudar o meu apoio ao presidente Bolsonaro. Sou e continuarei sendo fiel a ele nas pautas importantes para o país no Congresso Nacional”.

Deixe uma resposta