Tribunal de Contas do Ceará prepara gestores municipais para a transição governamental - Blog Edison Silva

Tribunal de Contas do Ceará prepara gestores municipais para a transição governamental

Plenário do Tribunal de Contas do Ceará. Foto: Ascom/TCE.

O Tribunal de Contas do Estado do Ceará – TCE, por meio da Escola Instituto Plácido Castelo (IPC), realiza na quinta-feira (24) o terceiro seminário no qual será discutido “O controle social na transição governamental” com o instrutor Virgílio Freire.

O evento é voltado para gestores públicos, secretários, servidores e sociedade em geral e faz parte do programa de educação continuada do IPC que este ano tem como temática “Encerramento de mandato e transição governamental”.

Os interessados em participar podem se inscrever, de forma virtual, através do Sistema de Gestão Educacional (Siged), no portal do IPC. As transmissões são realizadas por meio do YouTube da Escola de Contas.

O quarto e último seminário do programa será realizado no dia o1/10, com a temática “Atos práticos de gestão e finanças públicas na transição de governos” com as instrutoras Adriana Pinheiro e Edna Xavier.

A iniciativa permite evidenciar os principais aspectos e recomendações alusivos ao último ano de mandato de administradores públicos municipais e às transições de governos.

Na quinta-feira (17) a Escola de Contas Instituto Plácido Castelo (IPC) promoveu o II Seminário virtual do TCEduc 2020. Na oportunidade, esteve em pauta o tema “Obras e Serviços de Engenharia: recomendações práticas na transição de governos”, discutido pelos servidores da Diretoria de Fiscalização de Obras, Serviços de Engenharia e Meio Ambiente, Wanda Murta e José Almir da Silva.

A mediação dos debates ficou a cargo do coordenador-geral do IPC, Juraci Muniz. Sobre a iniciativa, Wanda Murta pontuou que é importante “levar orientação para os jurisdicionados e demais interessados no assunto, diante de um momento atípico. Nossa intenção é dividir um pouco de conhecimento com os que assumirão uma nova gestão e preparar os novos agentes para as próximas etapas”, destacou.

Para José Almir da Silva, o tema “é necessário pela relevância que obras públicas têm dentro dos orçamentos dos nossos municípios de pequeno e grande portes e, principalmente, a importância econômica que essas obras acabam refletindo, além de esclarecermos a nossa atuação nesse contexto”, ressaltou.

Com informações do site do TCE.

Deixe uma resposta