Sarto confirma reposição de leitos de enfermaria para Covid-19 nas UPAs e Hospital da Mulher - Blog Edison Silva

Sarto confirma reposição de leitos de enfermaria para Covid-19 nas UPAs e Hospital da Mulher

Anúncio foi feito pelo prefeito durante participação em solenidade de abertura dos trabalhos da Câmara de Fortaleza. Foto: Reprodução/CMFor

Diante o aumento de casos de pessoas infectadas com o novo coronavírus, e diante a iminência de aglomeração de pessoas durante o Carnaval, o prefeito de Fortaleza, Sarto, confirmou, na manhã desta segunda-feira (01), durante solenidade de abertura dos trabalhos da Câmara Municipal, que a Prefeitura irá repor todos os leitos de enfermaria Covid-19 nas Unidades de Pronto Atendimento 24 Horas (UPAs) e no Hospital da Mulher.

De acordo com o prefeito, a medida deve ser concretizada até o dia 17 de fevereiro próximo. Apesar de o governador Camilo Santana ter decretado que comércio, indústria, escolas e serviços não sejam fechados no período do Carnaval, é provável que algumas pessoas realizem os festejos, o que pode gerar aglomeração, a exemplo do que ocorreu durante as festas de fim de ano.

Sarto afirmou que nas últimas semanas tem havido aumento de casos de Covid-19 em UPAs e postos de Saúde de Fortaleza, ainda que a letalidade tenha permanecido estável. “O número de casos tem aumentado muito e, naturalmente, aumenta o número de óbitos. Isso a gente percebe claramente nas UPAs, no Hospital da Unimed, nos postos de Saúde. Para evitarmos maiores problemas, Estado e Prefeitura, fizeram um plano de retomada e aumento da capacidade instalada para atender pacientes Covid”, disse.

Segundo informou, a abertura dos leitos Covid será uma medida preventiva, visto a proximidade do Carnaval. “É preciso que tenhamos cuidado porque o número de casos está alto e continua aumentando de maneira que não é interessante para nós”, afirmou. O chefe do Poder Executivo também lamentou que o aprazamento das vacinas não foi totalmente definido, uma vez que existe material sendo adquirido de farmacêuticas diferentes e que o Governo tem enfrenado burocracias para adquirir o produto.

Ele afirmou que a situação atual é muito semelhante com o início da pandemia, quando Fortaleza não tinha respiradores e oxigênio suficientes para atender a demanda. No entanto, destacou que tanto a Secretaria de Saúde do Estado quanto a de Fortaleza montou uma rede com capacidade de atender a população que por ventura precise ser atendida com sintomas do novo coronavírus.

Deixe uma resposta