A troca de partido entre vereadores de Fortaleza mostra a preocupação com as eleições deste ano - Blog Edison Silva

A troca de partido entre vereadores de Fortaleza mostra a preocupação com as eleições deste ano

Preocupados com situação, parlamentares negociam saída dos atuais partidos. Foto: CMFor.

Em ano de eleição sem coligação para a disputa proporcional, vereadores da Câmara Municipal de Fortaleza estão apavorados com a possibilidade de não reeleição. Parlamentares da base governista aguardam orientação de suas lideranças políticas, em especial a do prefeito Roberto Cláudio, para definir a que partido devem se filiar.

Faltando pouco mais de duas semanas para o fim da chamada “janela partidária”, alguns vereadores estão apreensivos, pois não definiram a legenda que tendem a ingressar. Outros, porém, já definiram suas posições.

Como o Blog do Edison Silva já mostrou, PDT, PROS e PT devem eleger, praticamente,  a metade dos parlamentares da Casa, em outubro próximo. O restante ficará distribuído nas demais siglas com representação na Capital cearense. PP, PSB e Rede estão trabalhando para ter representação no legislativo de Fortaleza, e para isso já atraíram vereadores de mandato e ex parlamentares.

O PP, por exemplo, está dialogando com Benigno Junior (PSD), Ba (PTC), Emanuel Acrizio (PRP) e Dr. Porto (PRTB). Desses, somente Porto não confirma fechamento de questão. Segundo ele, caberá ao prefeito Roberto Cláudio, juntamente com aliados, definir seu destino.

Além da ex-vereadora Toinha Rocha, a Rede terá em seus quadros os vereadores Marília do Posto (PRP) e Dummar Ribeiro, que já deixou o Cidadania.

Eron Moreira já deixou o PP e ingressou no PDT. Outros que devem seguir este caminho são Carlos Mesquita (PROS) e Paulo Martins (PRTB). Cláudia Gomes saiu do PTC e ingressou no Democratas (DEM).

A vereadora Priscila Costa também deixa o PRTB para se filiar ao PSC. Em 2018, quando disputou vaga na Câmara Federal, a parlamentar obteve 21 mil votos na Capital, e é a aposta da sigla como puxadora de votos. PSC pretende eleger até três parlamentares.

Jorge Pinheiro (DC), Evaldo Costa (Republicanos), Jose Freire (Patri), Raimundo Filho (PRTB), Frota Cavalcante (Pode) e Idalmir Feitosa (PL) também devem deixar suas atuais siglas. Eles, porém, ainda não definiram para quais partidos devem ir. Márcio Cruz (PSD) afirmou ao Blog que se mantém em sua sigla, ainda que o presidente estadual da legenda, Domingos Filho, não o queira mais no partido.

Frases

“A gente está alinhado com o Zezinho (Albuquerque) e com o AJ Albuquerque. A minha condição já está fechada no PP” – (Benigno Junior)

 

“A situação é de muito medo. Tem muita gente com medo porque falam em corte acima de mais de nove mil votos. Com exceção do PDT, todo mundo ainda está atrás de resolver sua situação” – (Emanuel Acrizio)

“O Roberto Cláudio pediu para eu aguardar, e eu sou obediente. O clima que estou sentindo na Casa é de muito estranhamento” – (Dr. Porto)

Deixe uma resposta