Deputados criticam aumento do salário mínimo sem ganho acima da inflação - Blog Edison Silva

Deputados criticam aumento do salário mínimo sem ganho acima da inflação

Fernando Santana comparou o aumento de agora com os que governos anteriores deram, que superavam os índices de inflação. Foto: Blog do Edison Silva

Os deputados estaduais Fernando Santana (PT) e Dr. Carlos Felipe (PCdoB) criticaram o texto aprovado da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que prevê que o salário mínimo seja reajustado para R$ 1.040 em 2020, sem ganho acima da inflação.

Para Santana, falta sensibilidade por parte do governo Bolsonaro. “Eu vejo falta de sensibilidade com aquilo que é prioridade na vida das pessoas. Não tem como não comparar com os governos anteriores, que fizeram reajustes acima da inflação, agora com o governo atual”, disse, sem deixar de admitir que o momento econômico que passa o país possa ter influenciado na decisão. “Precisamos dizer que a economia não vai bem, que precisa melhorar, evidentemente, e isso pode ser uma justificativa dada pelo governo federal, mas você pode dar um reajuste abaixo da inflação é uma falta de sensibilidade. As pessoas estão precisando melhorar de vida e o salário mínimo ajuda”, explicou.

O deputado afirmou ainda que um aumento de pouco mais de R$ 40 (salário atual é de R$ 998) não condiz com os aumentos que a população vê em todos os lugares. “Nós temos um gráfico de um desemprego terrível. Ora, aquelas pessoas que conseguem emprego, que são assalariadas, têm um reajuste de pouco mais de R$ 40? É falta de sensibilidade política, sensibilidade com o poder público, pois as pessoas mais precisadas se amparam no poder público para ter uma qualidade de vida um pouco melhor”, concluiu, em conversa com o blog.

 

Para o deputado Carlos Felipe (PCdoB), um aumento um pouco maior, para superar os índices de inflação, não faria tanta diferença aos cofres públicos. “Seria coisa de R$ 10, que parece pouco, mas somando todos que recebem poderia ser uma injeção de boa quantia no mercado, para ajudar a economia”, disse.

Deixe uma resposta