Bolsonaro vai assinar pela primeira vez a nomeação de um ministro para o Tribunal Superior Eleitoral - Blog Edison Silva

Bolsonaro vai assinar pela primeira vez a nomeação de um ministro para o Tribunal Superior Eleitoral

Plenário do Supremo. Foto: STF

O Supremo Tribunal Federal (STF) definiu hoje (24) a lista tríplice que será enviada ao presidente da República, Jair Bolsonaro, para a escolha de uma vaga de ministro titular do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), órgão do Judiciário responsável pela organização das eleições. O TSE é composto de três ministros do Supremo Tribunal Federal, dois ministros do Superior Tribunal de Justiça, e dois advogados. Só estes são nomeados pelo presidente da República, posto que os cinco outros ministros são escolhidos pelas próprias Cortes a que pertencem.

No dia 27 de abril, termina o mandato do ministro Admar Gonzaga, que poderia ser reconduzido ao cargo por mais dois anos, mas desistiu de participar da lista diante do processo no qual foi acusado pela ex-mulher de violência doméstica.

Para a primeira vaga, foram definidos, em votação feita pelos ministros, os nomes da ex-advogada-geral da União, Gracie Mendonça, a candidata mais votada, que recebeu 10 votos, e dos advogados Carlos Horbach e Sergio Banhos, que já são ministros-substitutos no TSE. Ambos receberam sete votos.

Na segunda-feira (22), o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rego Barros, confirmou que Bolsonaro vai seguir a lista e escolher um dos nomes para realizar a nomeação. De acordo com a Constituição, cabe ao presidente da República nomear os advogados que compõem o tribunal. Os demais ministros fazem parte do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O TSE é composto por sete ministros, sendo três do STF, dois do STJ, e dois advogados com notório saber jurídico.

Com informações da  Agência Brasil

Deixe uma resposta