Deputado propõe utilizar os recursos previstos para bondinho elétrico na compra de vacinas para o Ceará - Blog Edison Silva

Deputado propõe utilizar os recursos previstos para bondinho elétrico na compra de vacinas para o Ceará

Heitor Férrer tem criticado constantemente o projeto de construção de um bondinho em Fortaleza ao custo de R$ 114 milhões. Foto: ALECE.

O deputado Heitor Férrer (SD) voltou a cobrar a aquisição de vacinas como ação prioritária por parte do Governo do Estado, durante o primeiro expediente da sessão plenária realizada de forma virtual e remota nesta quinta-feira (25).

O parlamentar criticou novamente o projeto de implantação do bondinho elétrico em Fortaleza, e considerou que o recurso público poderia ser convertido em doses de vacina suficientes para imunizar um terço da população cearense contra o novo coronavírus.

A vacina em questão seria a Oxford/Astrazeneca, “a mais barata atualmente, e que poderia ser comprada em quantidade, com o recurso do bondinho, suficiente para imunizar 5,8 milhões de cearenses”, conforme observou.

“Essa é a maior prioridade nesse momento. O cearense precisa de vacina para sair dessa tragédia na qual o Brasil está mergulhado. Qualquer outro projeto ou investimento que não seja nesse sentido, pode esperar”, argumentou.

Quanto às considerações feitas pelos críticos da vacina em relação à “origem” dos imunizantes, Heitor rebateu e lembrou que 95% dos medicamentos disponíveis nas farmácias brasileiras são fabricados com produtos que vêm de fora do País. “Destes, 72% são originários de China e Índia, então temos muito a agradecer a esses países”, apontou, reforçando que “o Brasil não produz vacinas”.

Em aparte, o deputado Renato Roseno (Psol) concordou com Heitor, e reforçou que são duas as prioridades as quais os governos estaduais devem se ater neste momento: vacina e renda básica. Para Roseno, a renda básica, ao contrário do bondinho, vai alavancar a economia ao possibilitar que as pessoas garantam suas necessidades básicas.

“O bondinho, por sua vez, pode alavancar o turismo, mas não é uma prioridade nesse momento, além de ter um grande potencial para se tornar um novo Acquario Ceará [obra que está parada em Fortaleza]”, considerou Roseno.

Deixe uma resposta