Vitor Valim, prefeito eleito de Caucaia, projeta futura gestão e cobra início da transição - Blog Edison Silva

Vitor Valim, prefeito eleito de Caucaia, projeta futura gestão e cobra início da transição

Valim diz-se preocupado com o pouco tempo para a transição de governo. Foto: Marcelo Bloc/Blog do Edison Silva.

Faltando menos de um mês para assumir a prefeitura do segundo maior município cearense, Caucaia, o prefeito eleito Vitor Valim (PROS) não esconde a preocupação com a transição da atual gestão para a futura, comandada por ele. Segundo Valim, o prefeito Naumi Amorim (PSD) ainda não assinou o decreto para que a transição seja efetivamente iniciada.

“Está complicado. Porque até agora, já protocolamos na Prefeitura os nossos nomes de transição, e, infelizmente, a atual administração, o gestor não assinou o decreto e nem fez a indicação dos membros da transição do Executivo para com a equipe que vai chegar”, lamentou ao Blog do Edison Silva.

O deputado estadual, que se despediu na última quinta-feira (03) dos colegas de Assembleia Legislativa, admitiu ter dois nomes já definidos para o secretariado, mas que a maior preocupação do momento é mesmo a transição de governo em tão pouco tempo.

“Dois nomes estão definidos, a professora Emilia Pessoa (PSDB) à frente da Secretaria de Educação e a vereadora Natécia Campos à frente da Secretaria de Ação Social. O restante dos nomes, estamos pensando. Estamos focados mais ainda agora na transição, pois temos um tempo muito curto, mais ou menos apenas uns 20 dias, ainda tem o recesso de Natal e o recesso de Ano Novo, mas ainda com a gestão atual sendo tardia em o gestor assinar o decreto para a gente começar a trabalhar”, explicou.

Desejo de mudança

Questionado sobre quando realmente viu que poderia vencer a eleição em Caucaia, Valim afirmou que foi quando viu que a população realmente queria a mudança. “E (o povo de Caucaia) manifestou isso no primeiro turno, quando cerca de 60% da população disse que não concordava com o atual gestor. Então, essas forças que foram votadas (no primeiro turno), que tiveram a legitimidade popular, vieram se acostar ao nosso projeto, fazendo unificação de planos de governo, então, todos saíram às ruas para a mudança, para a libertação de Caucaia”, ressaltou.

O deputado destacou a vitória contra a máquina da Prefeitura, contra ameaças, compra de votos e lembrou das prisões ocorridas na véspera do segundo turno, quando gente ligada ao atual prefeito foi presa com mais de R$ 600 mil em dinheiro vivo.

Pesquisa errada

Questionado sobre a pesquisa do Ibope que, dias antes do segundo turno o colocou cerca de 20% atrás de seu opositor, Valim disse: “Eu não quero nem politizar a pós-campanha, mas eu faço uma pergunta, para reflexão: divulgar uma notícia falsa, fake news, não é crime? Então porque um instituto que tem, ou deveria ter, dado científico e técnico, ao divulgar uma pesquisa mentirosa, não deveria ser enquadrado na mesma lei das fake news? Porque qualquer instituto, como outros que nos davam dados informalmente, já que não eram pesquisas registradas, mostravam realidades completamente diferentes do que aquela do Ibope. Então, ali ou foi muita incompetência ou foi intencional a vontade de distorcer os números de Caucaia e de outras cidades”, sentenciou.

Voto calado

Um marco da campanha de Valim foram as peças de campanha dizendo “Sou 90 e voto caladinho”. Valim explica que a ideia surgiu dos próprios apoiadores, sendo abraçada pela campanha.O que aconteceu, de ativista ser assassinado porque votava em mim, de bandidos faccionados irem nas residências intimidar o voto do povo, levou essa campanha espontânea, que saiu das ruas, de ‘eu estou com 90 e voto caladinho’. Foi uma tristeza a gente ver essas pessoas, que já querem se intrometer no direito de ir a vir das pessoas, agora quererem se intrometer inclusive em questões eleitorais”, explicitou.

Experiência em gestão

Questionado se estaria preparado para enfrentar sua primeira experiência como gestor de um município, Valim ressaltou que seu conhecimento adquirido no Legislativo o ajudará a trabalhar agora no Poder Executivo municipal. “Tive dois mandatos de vereador, de deputado estadual, deputado federal, então eu sou um político atuante. Fui membro duas vezes da Comissão de Orçamento do Congresso Nacional, relatando matérias importantes nacionalmente, fui vice-presidente de comissão, então tive uma grande atuação também em Brasília, tenho experiência em atuação no Legislativo. E agora à frente do Executivo, nós vamos trazer essa bagagem, de experiência de atrair novos recursos e procurar fazer uma gestão com técnicos nas secretarias de Finanças, de Planejamento, de Infraestrutura, para trazer o progresso tão sonhado para a população de Caucaia, que merece e infelizmente foi muito mal tratadas nas últimas gestões”, afirmou.

Avaliação

Para finalizar, o prefeito eleito avaliou que o que fez com que a população de Caucaia optasse pela mudança foram os problemas de gestão da atual administração municipal. “Caucaia está em último lugar na prova do Spaece (Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Ceará), inclusive do Governo do Estado. Caucaia hoje não tem segurança. Caucaia hoje não tem limpeza pública. O cidadão caucaiense que precisa da rede de saúde, também não encontra. Os itens básicos para um cidadão viver feliz, não tem; então isso resultou na reprovação do atual gestor. Nada pessoal, como nunca fiz nada pessoal na campanha, mas foi gestão”, concluiu.

Deixe uma resposta