Faltando um mês para o encerramento da campanha no primeiro turno, candidatos devem partir para o confronto direto - Blog Edison Silva

Faltando um mês para o encerramento da campanha no primeiro turno, candidatos devem partir para o confronto direto

Onze candidatos estão na disputa em Fortaleza, mas somente quatro têm se destacado. Foto: Divulgação.

Faltando exatamente um mês para o dia da votação, encerrando o primeiro turno da campanha eleitoral deste ano em Fortaleza, a disputa começa a ser mais participativa. Com uma postagem nas redes sociais, o governador Camilo Santana, do PT, fez sua primeira manifestação pública na campanha eleitoral, não apoiando qualquer candidatura, mas se colocando contra uma delas. Áudios e vídeos, alguns apócrifos, também começam a ser compartilhados entre os postulantes, o que acirra os ânimos entre os principais concorrentes.

As pesquisas eleitorais publicadas nesta semana também dão o tom de como será a disputa daqui pra frente, seja nos bairros onde os postulantes estão mais presentes, mesmo com certas restrições por conta da pandemia, seja na propaganda eleitoral no rádio ou televisão, assim como nas redes sociais, palco de discussões mais difíceis de serem fiscalizadas pela Justiça Eleitoral. A partir desta quinta-feira, 15 de novembro, todos os candidatos à Prefeitura de Fortaleza devem repensar a estratégia pelos próximos 30 dias antes.

No início desta quinta-feira, faltando um mês para o pleito municipal, um vídeo apócrifo tem sido divulgado nas redes sociais, afirmando que o candidato do PROS, Capitão Wagner, faltou com a verdade ao dizer que transferiu R$ 43 milhões para a Saúde de Fortaleza. O conteúdo apresentado, com fonte que seria o Portal da Transparência da Presidência da República, mostra que parte dos recursos foi direcionada para entidades militares.

Nos últimos dias, a participação de figuras de alcance nacional também esquentou a disputa na cidade. Ciro Gomes (PDT) participou de eventos ao lado de Sarto, enquanto o presidente da República, Jair Bolsonaro, chamou o candidato Heitor Freire (PSL) de “cara de pau”, por aparecer ao lado dele e de um candidato a prefeito em Pacatuba em um “folder”, e disse que vai apoiar Capitão Wagner.

Freire repudiou as falas do presidente e ironizou alguns posicionamentos do chefe do Poder Executivo federal em vídeo disponibilizado nas redes sociais. Wagner, por sua vez, não agradeceu diretamente a Bolsonaro, mas disse que, em caso de vitória, teria o Governo Federal ao seu lado. As pesquisas de intenção de voto, porém, mostram que a gestão da Presidência da República não é bem vista pelo eleitorado fortalezense, o que força o postulante republicano a mudar de estratégia na Capital.

Luizianne Lins tem tentado colar sua imagem à do governador Camilo Santana, o que não tem sido nada fácil, uma vez que nos últimos anos, a distância entre os dois sempre foi gritante. Poucas foram as vezes que a petista se reuniu com o chefe do Poder Executivo estadual quando das reuniões da bancada cearense na Câmara Federal.

O ex-presidente Lula ainda não participou diretamente da campanha em Fortaleza, mas isso é algo que a candidatura petista está guardando para a última semana antes da votação do dia 15 de novembro, uma vez que o ex-presidente ainda é bem avaliado pelo eleitorado de Fortaleza.

As pesquisas de intenção de voto têm mostrado Capitão Wagner, Luizianne Lins, Sarto e Heitor Férrer entre as primeiras colocações da disputa eleitoral deste ano, bem semelhante ao quadro mostrado em 2016, com exceção do nome de Sarto, claro, uma vez que naquele pleito o candidato pedetista era Roberto Cláudio, que tentou e foi reeleito no segundo turno da campanha contra Capitão Wagner.

Com 11 candidatos na disputa, Fortaleza repete a quantidade de postulantes de outras campanhas. No entanto, o quadro dos mais bem avaliados nas pesquisas demonstra quem tem a capacidade de chegar ao segundo turno da disputa eleitoral. A maioria dos postulantes, porém, está de olho no potencial de votos de legenda para ajudar a eleger nomes para o Legislativo Municipal.

Além de Wagner, Luizianne, Sarto e Heitor Férrer, também estão na disputa Heitor Freire, Renato Roseno (PSOL), Paula Colares (UP), Samuel Braga (Patriota), Anízio Melo (PCdoB), Célio Studart (PV) e José Loureto (PCO), este com pedido de registro de candidatura questionado na Justiça Eleitoral. Só o candidato Loureto e os Heitores, Férrer e Freire, ainda não estão com suas candidaturas registradas pelo TRE/CE.

Deixe uma resposta