PCdoB não consegue formar chapa para vaga na Câmara de Fortaleza, mas projeta candidatura própria à Prefeitura - Blog Edison Silva

PCdoB não consegue formar chapa para vaga na Câmara de Fortaleza, mas projeta candidatura própria à Prefeitura

Lideranças do PCdoB se encontraram com Ciro Gomes (PDT) em Fortaleza. Foto: Divulgação.

Na semana passada, o deputado federal Orlando Silva, que é pré-candidato do PCdoB no Município de São Paulo, esteve em Fortaleza para, oficialmente, conhecer o sistema educacional no Município de Sobral, na região Norte do Ceará. O parlamentar, liderança histórica da sigla comunista, teve alguns momentos com Ciro Gomes (PDT), onde discutiram, dentre outras coisas, sobre ano eleitoral e eventuais alianças no processo de votação deste ano.

Em Fortaleza, o partido tem encontrado dificuldades para construir uma chapa forte com vista a eleger nomes para a Câmara Municipal. Uma das principais figuras da legenda no Estado, o ex-deputado federal Chico Lopes tem relutado em aceitar o chamado para se colocar como candidato ao Legislativo da Capital cearense. De acordo com o vereador Evaldo Lima, há algumas variáveis sobre a relutância do colega, que envolvem, inclusive, parentes do ex-parlamentar que não querem que ele enfrente uma nova disputa.

Chico Lopes está “desgostoso” com o Parlamento

Com 80 anos de idade, Chico Lopes é considerado um puxador de votos para o PCdoB. Evaldo Lima destacou que a preocupação maior neste momento é com a cláusula de barreira de 2022, e, segundo ele, para evitar qualquer dificuldade nas eleições gerais, o partido precisa eleger uma base considerável no pleito deste ano.

“2022 começa em 2020 e a gente só pode ter uma participação efetiva se tivermos um bom resultado nas eleições municipais deste ano. Defendo a tese de que temos que abrir um leque com os principais quadros com base eleitoral. Então, temos que ter o Chico Lopes, eu, a Eliana Gomes, o Josenias, a juventude, o movimento universitário. Temos que abrir o leque”, defendeu Evaldo Lima.

Fortaleza

Apesar da dificuldade em atrair nomes para a disputa ao legislativo municipal, o deputado estadual Carlos Felipe afirmou ao Blog do Edison Silva que a orientação da executiva nacional é manter candidaturas nas cidades de grande porte e em capitais, e Fortaleza está inclusa entre essas cidades. “Em Fortaleza a orientação é termos candidato”, defendeu.

Questionado sobre essa possibilidade, o presidente estadual do partido, Luis Carlos Paes, afirmou que em Fortaleza, segue o debate sobre qual deve ser a melhor estratégia, dentre elas a possibilidade de lançamento de uma pré-candidatura a prefeito. O que, segundo ele, só deve ser definido no início de abril.

Base Aliada

De acordo com Luis, no Ceará o partido vai buscar repetir o despenho de 2016, quando elegeu oito prefeitos. A agremiação quer, ainda, eleger vereadores nas dez maiores cidades do Estado. O dirigente garantiu também que o deputado Carlos Felipe, a despeito do posicionamento de “independência” dele na Assembleia Legislativa, faz parte da base aliada do governador Camilo Santana.

“Nossos objetivos nas eleições são: derrotar Bolsonaro, fortalecer o campo democrático e o PCdoB e tornar nossas cidades mais humanas e mais justas”, defendeu Luis Carlos Paes. “Queremos ampliar a resistência aos projetos antinacionais, antipopulares e antidemocráticos de Bolsonaro. Contra o desmonte do INSS e a sanha privatista de (Paulo) Guedes. Em defesa da indústria nacional, da geração de empregos e por uma melhor distribuição da renda que tem se concentrado nós últimos anos”.

Deixe uma resposta