A manifestação do Papa e as comemorações do dia 1º de Maio. Bolsonaro fala em medidas econômicas - Blog Edison Silva

A manifestação do Papa e as comemorações do dia 1º de Maio. Bolsonaro fala em medidas econômicas

O papa Francisco definiu hoje (01) o desemprego como uma tragédia mundial e pediu a intercessão de São José por aqueles que perderam o emprego ou não conseguem encontrá-lo.

Ao final da Audiência Geral na Praça São Pedro, diante de milhares de fiéis, o pontífice fez votos de que a figura de São José, “o humilde trabalhador de Nazaré, nos oriente em direção a Cristo, sustente o sacrifício daqueles que praticam o bem neste mundo e interceda por aqueles que perderam o próprio emprego ou não conseguem encontrá-lo, uma tragédia mundial nesses tempos”.

No Brasil, o 1º de Maio foi comemorado com manifestantes de protestos, em vários pontos do País, contra a reforma da Previdência que está sendo discutida na Câmara dos Deputados. Nacionalmente, o movimento organizado pelas frentes sindicais, tenta marcar uma união da esquerda contra o governo Bolsonaro. O ato é uma organização conjunta de CUT, Força Sindical, CTB, UGT, Intersindical, CSB, CGTB, Nova Central, CSP-Conlutas, Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo.

Em São Paulo, o ato 1º de Maio unitário das Centrais Sindicais e Frentes ocupou o Vale do Anhangabaú, onde várias lideranças da oposição fizeram discursos criticando o Governo Bolsonaro. O principal orador, na Capital paulista, foi Fernando Haddad. A ausência de Ciro Gomes naquele evento foi reclamado, mas o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, alegou que ele estava acompanhando o filho mais novo em consulta médica.

Pronunciamento 

Em pronunciamento nesta quarta-feira, o presidente da República, Jair Bolsonaro, falou sobre a medida provisória editada nesta terça-feira (30) que trata da Declaração dos Direitos de Liberdade Econômica.

A norma estabelece regras gerais para garantir a livre iniciativa de negócios no país, de forma desburocratizada. No pronunciamento, com duração de 2 minutos e 10 segundos, o presidente disse que a MP está concretizada em direitos considerados essenciais ao crescimento do país, como desenvolver atividade econômica de baixo risco para o sustento próprio da sua família, produzir, empregar e gerar renda.

Ainda na lista de direitos garantidos pela MP, Jair Bolsonaro listou a liberdade do dono da atividade econômica definir o preço de produtos de serviços, sem interferência de qualquer autoridade. O texto garante ainda tratamento igualitário de órgãos e de entidades da administração pública. Ainda durante o pronunciamento, o presidente ressaltou que a medida restringe o papel do Estado no controle e na fiscalização da atividade econômica.

“Esse é o compromisso do meu governo com a plena liberdade econômica, única maneira de proporcionar, por mérito próprio, e sem interferência do Estado, o engrandecimento de cada cidadão”, destacou o presidente.

O presidente da República disse ainda que ainda há muito a fazer. “O caminho é longo. Eu sei que unidos ultrapassaremos essas dificuldades iniciais que são naturais nas transições de governo, especialmente se as concepções políticas forem antagônicas. O Brasil elegeu a esperança. Razão pela qual estarei sempre atento para não decepcioná-los. É o meu compromisso com você, nesse Dia do Trabalho”, afirmou.

Com informações da Agência Brasil.

 

Deixe uma resposta