Professora Izolda Cela não volta ao MEC. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil.

A secretária executiva do Ministério da Educação (MEC), Izolda Cela (PSB), anunciou a saída da pasta para disputar as eleições municipais de outubro. O anúncio foi feito em comunicado enviado nessa quarta-feira (29) à sua equipe no MEC.

Ex-governadora do Ceará, Izolda deverá ser candidata à prefeita de Sobral. Ela deixa a pasta às vésperas de acabar o prazo legal para a desincompatibilização de cargos de confiança, que é de quatro meses antes do pleito. As eleições estão marcadas para 6 de outubro, com eventual segundo turno em 27 de outubro (em cidades acima de 200 mil eleitores).

Na mensagem à equipe, Izolda informa que não retornará ao trabalho após o feriado de Corpus Christi, nesta quinta-feira (30). Ela elogiou o trabalho do ministro da Educação, o também ex-governador do Ceará, Camilo Santana (PT), e disse que as definições relativas à possível candidatura a prefeita “a Deus pertencem”. O teor do comunicado foi revelado pelo jornal Folha de S. Paulo e confirmado pela Agência Brasil.

Além de ex-governadora, Izolda Cela é também ex-secretária de Educação do Ceará. Boa parte do crédito pelo bom desempenho do estado em métricas educacionais nos últimos anos é atribuída à sua gestão na Seduc. Ela chegou a ser cotada para assumir o MEC, antes do presidente Luiz Inácio Lula da Silva optar por Camilo Santana.

Em fevereiro deste ano, Izolda (que estava sem partido) se filiou ao PSB, seguindo movimento do senador Cid Gomes, seu aliado político e uma das principais lideranças no Ceará. O senador fez a transição partidária após ter se desentendido com dirigentes do PDT, inclusive com o irmão, Ciro Gomes, ex-ministro e ex-candidato à Presidência da República.

A rixa de Cid Gomes com o PDT envolveu a pré-candidatura da então governadora Izolda Cela (PDT) à reeleição, no pleito de 2022. A candidatura tinha o apoio de Cid, mas acabou barrada por Ciro, que não concordou em continuar a aliança do PDT com o PT no Ceará. A direção estadual do PDT apoiou o nome de Roberto Cláudio, ex-prefeito de Fortaleza.

Com informações da Agência Brasil.