Visita do presidente do STF e do CNJ, ministro Luís Roberto Barroso, ao no Centro Estadual de Educação Profissional em Tecnologia, Informação e Comunicação de Lauro de Freitas (BA). Foto: Reprodução/ Luiz Silveira/ Ag.CNJ

O que é necessário para ter uma vida boa e plena? A partir dessa reflexão, que inclui a compreensão da democracia e de um mundo sustentável, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça, ministro Luís Roberto Barroso, fez uma palestra para estudantes do Centro Estadual de Educação Profissional em Tecnologia, Informação e Comunicação (CEEP-TIC) e de mais três escolas, em Lauro de FreitasBA.

Em auditório lotado, o ministro falou sobre as formas de fazer a diferença não somente para si, mas para o mundo. Ele elencou três pontos essenciais para trilhar esse caminho: o cultivo de valores, a ampliação dos conhecimentos e a vontade de ser melhor. ”Primeiro valor mais importante: sejam boas pessoas, tenham bons sentimentos, cultivem amizades e o espírito de fraternidade e, sobretudo, não façam mal aos outros”, defendeu.

Na avaliação do presidente, o conhecimento dentro dessa perspectiva é o grande ativo no mundo de hoje. Barroso alertou os alunos para que sejam o melhor que conseguirem na área escolhida por cada um. ”A ambição de ter uma vida confortável e sem privações faz parte, mas a vida não se limita a satisfações materiais ou pessoais. Sucesso não é reconhecimento externo. É ser o melhor que podemos ser. A felicidade é uma porta que se abre por dentro”, reiterou.

Ao fazer uma retrospectiva histórica, o ministro falou aos jovens sobre a luta para a retomada da democracia no Brasil após as ditaduras do último século: a de 1937 (Estado Novo) e a militar, iniciada em 1964. ”Numa democracia ninguém é poderoso demais. Estado de Direito significa que o jogo tem regras e todos, governantes e governados, devem seguir as normas da Constituição”, afirmou.

As mudanças promovidas pela revolução tecnológica ou 3.ª revolução industrial, bem como seus benefícios e consequências, também foram destacadas. ”’A internet e a revolução digital trouxeram muitos proveitos. Agora, a vida de todos vai ser impactada pela inteligência artificial, que, apesar de relevante, traz riscos como a desinformação, o uso desse mecanismo como arma bélica e a singularidade. A singularidade é o temor que os computadores desenvolvam consciência própria, com a capacidade de processar informações muito mais rápida que a humana. Cientistas declaram que existe 10% de chance de isso acontecer”, enfatizou.

No último tópico abordado pelo presidente com os alunos, a mudança climática foi detalhada como o caminho que levou ao aquecimento global, fenômeno que está modificando a vida no planeta. ”Todos nós precisamos estar atentos para enfrentarmos a mudança climática”, disse.

Ao finalizar sua fala, o ministro disse que o Brasil é um país fascinante e percorreu grande caminho até aqui. Ele afirmou que é necessário cumprirmos, como nação, a agenda de progresso e justiça social prevista na Constituição Federal de 1988. Entre as prioridades desta agenda, estão a erradicação da pobreza, o crescimento econômico do país e investimentos em educação básica. “O país não pode ter 30% de pessoas em insegurança alimentar; devemos voltar a crescer e distribuir renda para enfrentar a pobreza. Um bom professor muda a vida dos seus alunos”, concluiu.

Assuntos relevantes

Para o estudante Matheus Moreira, 18 anos de idade, a fala do presidente trouxe entendimento mais amplo sobre diversos aspectos da vida. ”O ministro tocou em assuntos que são muito importantes para nós, como a questão da tecnologia”, disse o jovem, que apresentava um trabalho na Feira de Ciências, Empreendedorismo e Inovação da Bahia, que acontece na CEEP-TIC. Em visita à feira, Barroso conheceu algumas iniciativas, como a Mesa Inteligente de Multiúso, destinada a produzir energia elétrica de maneira sustentável para pessoas de baixa renda. Para as autoras do projeto, Maria Eduarda Alves, Luana Victória e Maria Eduarda Chaves, todas com 16 anos de idade, a atenção dada pelo ministro a cada um dos projetos em exposição abre novas possibilidades. ”Foi excelente ele ter perguntado, se interessado mesmo por todos os projetos. Assim podemos receber retorno não apenas dele, mas de outras pessoas que possam conhecer nossa iniciativa a partir desse encontro”, afirmou Luana.

O governador em exercício, Geraldo Júnior, falou da relevância da discussão proposta pelo ministro Barroso, que aproxima o Judiciário da sociedade civil e do cidadão. ”O presidente do CNJ dá um pontapé essencial para estimular os alunos presentes a construírem um elo com a democracia e Estado Democrático”, declarou.

CEEP-TIC

Na primeira parte da visita ao CEEP-TIC de Lauro de Freitas, na região Metropolitana de Salvador, o ministro visitou a Sala de Robótica, onde pôde conhecer alguns projetos criados pelos estudantes, como uns óculos que auxiliam pessoas com deficiência visual e uma garra robótica, para uso em indústrias. “Achei que viria ensinar, mas estou aprendendo”, brincou.

O presidente do CNJ e do STF assistiu ainda uma apresentação cultural, acompanhou as atividades dos alunos e conheceu equipamentos esportivos e outras dependências da unidade. Foi presenteado com minipanetones produzidos pelos alunos do núcleo de gastronomia da escola, que oferece aulas em período integral, conta com 24 salas de aula, cinco laboratórios, auditório, refeitório, piscina semiolímpica, teatro, quadra poliesportiva, campo de futebol de salão.

O centro educacional referência do ensino técnico baiano integra a série de agendas do ministro Luís Roberto Barroso, na cidade de Salvador e regiões próximas. Nesta segunda (4) e terça-feira (5/12), ele recebe os presidentes dos tribunais brasileiros no 17.º Encontro Nacional do Poder Judiciário.

Fonte: CNJ