Presidente do TSE, Edson Fachin, ao lado dos ministros Alexandre de Moraes e Ricardo Lewandowski durante testes na última quinta-feira (12). Foto: Reprodução/ TSE

O segundo dia da etapa de confirmação do Teste Público de Segurança (TPS) 2021 do Sistema Eletrônico de Votação, na última quinta-feira (12), contou com a visita do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, e dos demais ministros titulares da Corte, além do vice-procurador-geral eleitoral, Paulo Gonet Branco.

Membros da Comissão de Transparência Eleitoral (CTE) e observadores eleitorais convidados também acompanharam as atividades, que acontecem até amanhã, na sede do Tribunal, em Brasília.

Os ministros e o representante do Ministério Público Eleitoral puderam conhecer o trabalho das cinco equipes de investigadores que executaram planos de ataque considerados bem-sucedidos no evento do ano passado.

A etapa de confirmação do TPS tem como objetivo ratificar se as soluções adotadas pela equipe técnica da Corte Eleitoral foram suficientemente reforçadas para sanar todos os achados da última edição do teste.

Também acompanharam os trabalhos do TPS nesta quinta membros da CTE, representantes da sociedade civil e entidades públicas interessadas em aprimorar o conhecimento sobre o funcionamento do sistema eletrônico de votação.

Para a advogada e observadora eleitoral Tati Gomes, a transparência das atividades do TPS, mostrada aos cidadãos e técnicos de diversas áreas do Direito e da segurança digital, respalda a confiabilidade do processo eletrônico para as Eleições 2022.“A urna é confiável, e estamos aqui para observar e atestar isso, desmistificando o contrário que alguns insistem em dizer por aí. O acesso novamente ao sistema para diversas entidades aqui presentes é a prova da transparência que a Justiça Eleitoral busca, validando e fortalecendo a democracia”, afirma.

Testes

Dois testes foram confirmados pelas equipes na tarde de ontem (12), sendo um que buscava a inclusão de um simulacro da parte frontal da urna e outro que sugeria a habilitação indevida do áudio do equipamento. “A continuidade desses testes feitos aqui faz parte das medidas que o TSE adota para mitigar as dificuldades com as quais os investigadores se depararam ao encontrar os achados no TPS realizado em 2021”, explica Thiago Fini, assessor-chefe de Gestão Eleitoral do Tribunal e membro da Comissão Avaliadora do Teste.

Um dos investigadores, Ian Zimmermann, que é representante de Tecnologia da Informação da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), diz que retornar para o espaço do TPS faz com que as contribuições para a segurança do sistema eleitoral sejam ajustadas de forma plural.

Apoio técnico

Para otimizar as iniciativas que são compartilhadas para o aprimoramento da segurança do sistema eleitoral, servidores de diversas áreas da Justiça Eleitoral também participam do TPS como apoio técnico aos investigadores.

De acordo com o secretário de Tecnologia da Informação do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), Luiz Cézar Darenzo, o Teste de Confirmação traz maior robustez ao sistema e, consequentemente, mais segurança. “A urna é bastante segura. Esses retestes, feitos na confirmação do TPS, são muito importantes, porque até mesmo após uma eventual correção, novas tentativas de ataques são realizadas para verificar se toda a plataforma ou superfície de ataque foi completamente coberta. Isso faz com que o equipamento se torne extremamente seguro”, destaca.

O Teste

O Teste de Confirmação ocorre de 11 a 13 de maio, das 9h às 18h. O encerramento das atividades está marcado para as 17h desta sexta-feira (13). O evento está previsto no artigo 37 do Edital do TPS. O Teste Público de Segurança do Sistema Eletrônico de Votação (TPS), evento permanente do calendário eleitoral, é realizado pelo TSE desde 2009, preferencialmente no ano anterior ao das eleições.

Fonte: TSE