"Os vereadores estão livres para se posicionar como querem", diz presidente estadual do PT sobre oposição a Sarto - Blog Edison Silva

“Os vereadores estão livres para se posicionar como querem”, diz presidente estadual do PT sobre oposição a Sarto

Em dezembro, PT de Fortaleza tomou a decisão. Foto: Divulgação.

Apesar de não ter notificado à executiva municipal do Partido dos Trabalhadores (PT) sobre a suspensão da decisão local de fazer oposição ao Governo Sarto, em Fortaleza, o presidente do diretório estadual da sigla no Ceará, Antônio Filho, o “Conin”, afirmou que está dialogando com o grêmio para definir uma posição “no maior grau de unidade possível”.

Em entrevista ao Blog do Edison Silva, o dirigente afirmou que durante este processo a bancada petista na Câmara Municipal está livre para se posicionar como quiser.

O presidente da executiva municipal, o vereador Guilherme Sampaio, junto com os vereadores Larissa Gaspar e Ronivaldo Maia, já definiram que continuarão fazendo oposição a Sarto, ainda que a estadual tenha suspendido decisão da municipal. Os petistas de Fortaleza alegam que não foram notificados oficialmente sobre tal medida e já se posicionam como oposicionistas na Casa Legislativa.

No entanto, o PT procura se distanciar ao máximo das pautas da bancada oposicionista aliada do deputado federal Capitão Wagner (PROS). O partido tem se aproximado, porém, dos vereadores do PSOL, inclusive, participando de encontros juntos, como ocorreu na semana passada em reunião com o prefeito Sarto para tratar de uma demanda de movimentos sociais por moradia.

“Estamos realizando um processo de diálogo interno, conversando, tentando definir uma posição no maior grau de unidade possível. Tenho conversado com o Guilherme e estamos trabalhando no nosso tempo, tentando encontrar uma posição de união”, disse Antônio Filho.

No fim de dezembro passado, em reunião da executiva do PT de Fortaleza, a legenda decidiu fazer oposição à esquerda à gestão de Sarto, assim como ocorreu nos oito anos do Governo Roberto Cláudio. No segundo turno das eleições do ano passado, o partido apoiou o prefeito eleito. A decisão se deu, segundo os dirigentes da sigla, para evitar ascensão do bolsonarismo no Nordeste.

Alas petistas, porém, entraram com recurso junto à executiva estadual, que decidiu por suspender a definição dos membros do partido em Fortaleza. De acordo com Conin, a questão da notificação diz respeito mais a formalidades, mas que na prática, no campo da política, é preciso dar tempo para que a situação se resolva da melhor maneira possível.

Está valendo a decisão da estadual que suspendeu a decisão da municipal para retomar o diálogo interno. Quando a gente notificar aí o PT de Fortaleza se reúne e resolve o que fazer. Nesse período, os vereadores estão livres para se posicionar. O que o Guilherme tem dito é que a posição dele é de oposição, mas aí é uma decisão da bancada”, afirmou Conin.

Orientação

Ele defendeu, ainda, que o momento é de diálogo interno para tentar evitar polêmicas. De acordo com o dirigente, não há prazo para que o PT de Fortaleza seja, oficialmente, notificado. “O Sarto já indicou o secretariado dele, então, nossa decisão não tem nada com cargos. A bancada está tendo toda liberdade de atuar na Câmara, não vamos fazer qualquer exigência. A própria bancada vai definindo sua orientação. O presidente do partido é o vereador Guilherme, e isso facilita o posicionamento lá”.

O jornalista Edison Silva comenta a decisão “inócua” dos dirigentes do PT do Ceará sobre a posição tomada pelos vereadores de Fortaleza:

Deixe uma resposta