Vereadores só assumirão regionais após alteração na Lei da nova territorialização; suplentes aguardam as vagas - Blog Edison Silva

Vereadores só assumirão regionais após alteração na Lei da nova territorialização; suplentes aguardam as vagas

Raimundo Filho e Michel Lins ainda não foram nomeados, oficialmente, para os cargos nas Secretarias Regionais. Foto: Reprodução/Facebook.

Os vereadores Michel Lins (Cidadania) e Raimundo Filho (PDT) ainda não assumiram, oficialmente, o comando das Secretarias Executivas Regionais (SERs) indicados que foram pelo prefeito Sarto, pois aguardam nova alteração no texto original da Lei Municipal que modificou a territorialização da cidade de Fortaleza.

Dessa forma, os suplentes que aguardam assumir as vagas dos titulares passarão a atuar na Câmara Municipal somente no início do mês de fevereiro, após aprovação de novo projeto.

Já no retorno dos trabalhos legislativos, os vereadores votarão projeto de Lei modificando a legislação já em vigor, que aumentou de sete para 12 o número de regionais na Capital cearense. Após aprovação do novo texto, Michel Lins e Raimundo Filho estarão aptos a assumir os cargos no Poder Executivo. Em seguida, assumem nas vagas deixadas pelos dois, os suplentes Pedro França (Cidadania) e Didi Mangueira (PDT).

Por conta do impasse, os titulares das vagas ainda não foram nomeados, oficialmente, pelo prefeito Sarto para assumir as secretarias regionais, o que já aconteceu com outros indicados. Os dois vereadores, inclusive, participarão das sessões deliberativas e votarão na proposta de alteração do texto original.

De acordo com informações, as regionais estão subordinadas à estrutura da Secretaria Municipal da Gestão Regional, a Seger, e mesmo com status de secretarias, simbologia S-1, precisam de uma alteração que garanta sua autonomia. O vereador, por exemplo, pode assumir cargos em órgãos que tenham status de secretaria.

Até o momento, somente dois suplentes assumiram as vagas deixadas por titulares. Carlos Mesquita (PDT) foi o primeiro a se beneficiar com uma licença, no caso a do vereador Elpídio Nogueira (PDT), que assumiu a Secretaria de Cultura. Já Pedro Matos (PROS) está ocupando o lugar de Sargento Reginauro (PROS), que está de licença para tratamento de um linfoma.

Pedro França, neto da secretária de Proteção Social, Socorro França, só deve assumir a vaga deixada por Michel Lins após aprovação da mudança na Lei da nova territorialização. O mesmo acontecerá com Didi Mangueira. O pedetista é o terceiro suplente do PDT, porém, foi beneficiado com a ida de Iraguassú Filho (o segundo suplente da sigla) para a direção da Fundação da Criança e da Família Cidadã, a Funci.

Deixe uma resposta