Índice de turismo no País em novembro e outubro apresenta alta de 7,6%; Ceará cresce 3,6% - Blog Edison Silva

Índice de turismo no País em novembro e outubro apresenta alta de 7,6%; Ceará cresce 3,6%

Os dados foram divulgados pelo IBGE. Foto: Reprodução

O índice de atividades turísticas no país cresceu pelo sétimo mês consecutivo. Entre outubro e novembro do ano passado, o índice subiu 7,6%, impulsionado pelos serviços de alojamento e alimentação, que avançaram 9,1%, e pelo segmento de transporte aéreo, que teve alta de 6,8%.

No acumulado dos últimos sete meses analisados, o setor já registra um ganho de 120,8%. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada nesta quarta-feira (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e reforçam a contribuição do turismo ao desenvolvimento econômico nacional.

O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, creditou os resultados à retomada do turismo em todo o país, de forma segura e responsável. “O índice de atividades turísticas cresceu pelo sétimo mês consecutivo, a taxa de desemprego interrompeu, no trimestre agosto-outubro, uma sequência de quedas, e a movimentação nos aeroportos de todo o país tem aumentado dia após dia. Esses são fortes indicativos de que a retomada está em andamento e que o setor está se recuperando”, avaliou o ministro.

O sétimo aumento seguido do indicador foi registrado em nove das 12 unidades da Federação onde ele é investigado, com destaque para Bahia (11,8%), Pernambuco (11,8%), São Paulo (11,0%), Goiás (9,9%) e Rio de Janeiro (5,4%) e Ceará (3,6%).

Desde o início da pandemia, o Governo Federal atuou para reduzir os efeitos negativos da Covid-19 no turismo, incluindo o impacto nos empregos. As ações envolveram iniciativas como a Medida Provisória 936, que permitiu a flexibilização de salários e jornadas de trabalho; a MP 948, que regulamentou as relações de consumo no segmento; e a MP 963, que garantiu R$ 5 bilhões à concessão de empréstimos por meio do Fundo Geral de Turismo (Fungetur), entre outras providências.

Fonte: Governo Federal.

Deixe uma resposta