Candidata Simone Tebet, em carta aos senadores, cobra união de forças para tirar Brasil da crise econômica e social - Blog Edison Silva

Candidata Simone Tebet, em carta aos senadores, cobra união de forças para tirar Brasil da crise econômica e social

Simone, do MDB do Mato Grosso do Sul, é candidata à Presidência do Senado. Foto: Agência Senado.

Simone Tebet (MDB/MS), candidata à presidência do Senado, enviou aos colegas no último domingo (24) uma carta com um resumo de suas propostas.

No texto, a senadora salienta a dificuldade para enfrentamento da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e cobra união de forças para para tirar o país da crise “sanitária, econômica e social” começando pelo apoio ao plano nacional de vacinação.

Simone defendeu a “independência entre os poderes da República e prometeu avançar com reformas que estimulem o desenvolvimento e a responsabilidade social, e também democratizar o processo de deliberação dentro do Senado”.

Atual presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da Casa, Simone disputa a Presidência do Senado com os senadores Rodrigo Pacheco (DEM/MG), Major Olimpio (PSL/SP) e Jorge Kajuru (Cidadania/GO).

Se eleita, será a primeira mulher a presidir o Senado e o Congresso Nacional. Em 19 de janeiro, foi anunciada a organização de uma nova Frente Democrática com Simone Tebet e o deputado federal Baleia Rossi (MDB/SP), que disputa a Presidência da Câmara, com o objetivo de unificar o discurso de candidatos independentes. A eleição está prevista para o início de fevereiro.

Leia a carta de Simone Tebet enviada aos senadores:

A construção da minha candidatura à Presidência do Senado nasceu da percepção da bancada do MDB de que a independência harmônica do Senado Federal com os demais Poderes é pilar essencial para o fortalecimento do Poder Legislativo e do Estado democrático de Direito.

O momento exige equilíbrio, respeito às leis e à Constituição, além de um esforço conjunto, de todos, para que possamos sair o mais rápido possível dessa crise sanitária, econômica e social. Fortalecida pela forma como minha candidatura foi abraçada, primeiro pelos setores da sociedade civil organizada dentro do MDB, comecei a colocar em prática a estratégia que me impus quando aceitei essa missão: ficar rouca de tanto ouvir.

Foi assim que me deparei, por exemplo, com um grupo de mulheres bem intencionadas e dispostas a me ajudar a encontrar uma saída para o Brasil. Me identifiquei com suas aflições, sobretudo quando ouvi de uma profissional de saúde, em reunião virtual, o quanto é difícil cuidarmos do outro, de nós mesmos e ainda ter força para ajudar o país a superar os efeitos da atual pandemia.

Aqueles que cuidam da geração de renda e emprego também estão mobilizados e preocupados, na agroindústria, no chão das fábricas e no varejo. Os relatos, avaliações e sugestões que chegaram a mim foram impactantes e indicam a expectativa dos brasileiros em relação aos seus representantes no Congresso Nacional.

O país precisa da nossa firmeza, bom senso e espírito público. Precisamos unir forças nesta reconstrução do Brasil, a começar pelo apoio incondicional ao Plano Nacional de imunização de todos os brasileiros contra a Covid-19. A gravidade da situação também exige que avancemos com as reformas que alavancarão o desenvolvimento, geração de emprego e renda, aliando nossa responsabilidade social com a devida responsabilidade fiscal.

Essa é a grande e árdua missão do Congresso Nacional.

Apresento-me, assim, perante as senhoras e senhores senadores como candidata à Presidência do Senado, com o compromisso de priorizar o diálogo, democratizar a deliberação das nossas pautas, ampliar representatividade do colégio de líderes e respeitar as prerrogativas de cada uma das senadoras e dos senadores desta Casa. O Brasil dependerá da grandeza de nossos gestos. Estamos todos prontos, porque o Brasil está em nós.

Simone Tebet

Meus compromissos:

I. Independência institucional e harmonia entre os três Poderes da República

A harmonia entre os Poderes da República é o pilar da democracia brasileira, mas Instituições fortes exigem independência para fiscalizar e aprovar leis que atendam aos interesses do país e das pessoas.

Trabalhar pela manutenção da harmonia entre os Poderes, enquanto um instrumento de defesa da democracia.

Ter como guia a Constituição e o Regimento Interno.

Resgatar o protagonismo do Senado e seu papel constitucional de Casa revisora.

Assegurar a soberania do plenário, com a participação democrática de cada uma das senadoras e dos senadores, no conjunto desta Casa.

Democratizar a deliberação das pautas, com implantação efetiva e representativa do Colégio de Líderes e o respeito absoluto às suas prerrogativas de função.

Ampliar a participação feminina nos grandes debates nacionais, no colégio de líderes, na lista de oradores e na votação de projetos da pauta feminina.

II. Gerenciamento das crises sanitária, econômica e social:

Viabilizar, dentro das atribuições do Senado Federal, o Plano Nacional de Imunização.

Retomar, de imediato, a agenda de reformas, em especial da Reforma Tributária, no sentido de tornar o nosso sistema tributário mais justo, transparente e eficiente.

Avançar nas discussões e deliberações de projetos que apresentem medidas para dar suporte às atividades econômicas penalizadas pela crise e de projetos que estimulem novos investimentos no país, de forma a assegurar a retomada da atividade econômica pós pandemia

Priorizar o debate e a votação de projetos que assegurem o compromisso do Senado Federal com a responsabilidade social, em especial com a educação, ciência e tecnologia, geração de emprego e renda.

 

Com informações da Agência Senado.

Deixe uma resposta