Sarto recebe R$ 4 milhões do PDT. É a maior quantia liberada pelo partido para qualquer dos seus candidatos a prefeito de capitais brasileiras - Blog Edison Silva

Sarto recebe R$ 4 milhões do PDT. É a maior quantia liberada pelo partido para qualquer dos seus candidatos a prefeito de capitais brasileiras

A eleição de Sarto é prioridade para o PDT nacional. Foto: Divulgação.

A direção nacional do Partido Democrático Trabalhista (PDT) repassou R$ 4 milhões para a campanha do candidato a prefeito de Fortaleza pela sigla, o deputado estadual Sarto. Além de ser a maior quantia repassada do Fundo Eleitoral por qualquer dos partidos com postulantes na Capital cearense, também é superior aos valores repassados pela própria agremiação para as candidaturas pedetistas nas capitais brasileiras.

Além de Sarto em Fortaleza, o PDT também lançou candidatos em outras cinco capitais do País: Edvaldo Nogueira Araújo em Aracajú, Dagoberto Nogueira Filho em Campo Grande, Goura (Jorge Gomes de Oliveira Brand) em Curitiba, Julizana Brizola em Porto Alegre, e Marta Rocha no Rio de Janeiro.

De todos eles, até o início da noite desta quinta-feira (08), só o candidato Edvaldo havia recebido R$ 1,5 milhão e Dagoberto R$ 1 milhão. Os demais não haviam feito registro de qualquer recebimento de recursos do partido.

A eleição de Sarto em Fortaleza é uma das prioridades do PDT neste ano, uma vez que a Capital cearense é considerada berço político do vice-presidente nacional do partido, o ex-governador do Ceará, Ciro Gomes. Como Ciro tem interesse na disputa eleitoral de 2022, quando deve tentar, mais uma vez, ser presidente da República, é fundamental para ele a vitória pedetista não somente em Sobral, onde viveu a juventude, mas também em Fortaleza, onde foi prefeito e construiu sua carreira política.

Os outros candidatos a prefeito em Fortaleza receberam da direção nacional de seus partidos bem menos que o postulante do PDT. Capitão Wagner (PROS), por exemplo, só declarou recursos oriundos de pessoas físicas, sendo R$ 500 mil do senador Eduardo Girão (PODEMOS), e R$ 5 mil do próprio Wagner.

Luizianne Lins recebeu, até o momento, R$ 450 mil da direção nacional do Partido dos Trabalhadores. Célio Studart (PV), por sua vez, declarou ter recebido R$ 627 mil da direção estadual do seu partido, e R$ 5 mil de Maria Studart. Heitor Freire (PSL) conseguiu R$ 450 mil da executiva nacional do partido e R$ 10 mil foram doados pelo próprio candidato.

Renato Roseno (PSOL), declarou ter recebido R$ 33 mil, sendo R$ 21,9 mil oriundos de financiamento coletivo, e R$ 1,5 mil da irmã, a dermatologista Tatiane Roseno.  Anízio Melo (PCdoB) recebeu, até o momento, R$ 8 mil, sendo R$ 5 mil repassados por Carlos Augusto Diógenes Pinheiro, o “Patinhas”, e R$ 2 mil de Benedito de Paula Bezerril.

Limite de gastos

Paula Colares (UP) declarou R$ 1 mil de receita. José Loureto (PCO), Heitor Férrer (SD) e Samuel Braga (Patriota) ainda não declararam qualquer valor recebido no pleito deste ano.

Alguns candidatos a prefeito em Fortaleza, apesar de já terem recebido quantias consideráveis para a disputa eleitoral, não declararam limite de gastos, que neste ano na Capital cearense tem o teto de R$ 14,1 milhões. Dos 11 postulantes, deixaram de declarar o que vão gastar na campanha Samuel Braga, José Louretto, Heitor Freire, Heitor Férrer e Luizianne Lins.

Capitais

O mesmo se repete entre as candidaturas pedetistas nas capitais brasileiras. Alguns dos postulantes do PDT não declararam o limite dos gastos de campanha quando solicitaram registro de candidatura. Edvaldo, que tenta reeleição em Aracajú, por exemplo, é um desses postulantes. Dagoberto, em Campo Grande, também não declarou o limite dos gastos, assim como Martha Rocha, no Rio de Janeiro.

Juliana Brizola, do PDT de Porto Alegre, também não declarou gastos totais, para o primeiro turno da campanha. Goura, em Curitiba, foi um dos poucos candidatos pedetistas em capitais que declarou os limites dos gastos. Na Capital do Paraná, o limite é de R$ 10,9 milhões. Em Fortaleza, Sarto declarou gastos totais no valor de R$ 14,1 milhões.

 

– Receita até agora declarada pelos candidatos em Fortaleza 

Anízio Melo – R$ 8 mil –

Wagner – R$ 505 mil –

Célio Studart – R$ 632 mil –

Heitor Férrer – ainda não declarou

Heitor Freire – R$ 460 mil –

José Loureto – ainda não declarou

Luizianne Lins – R$ 450 mil –

Paula Colares – R$ 1 mil –

Roseno – R$ 33 mil –

Samuel Braga – ainda não declarou

Sarto – R$ 4,3 milhões

– Recursos enviados pela direção do PDT a candidatos nas capitais

Sarto – Fortaleza – R$ 4 milhões

Edvaldo – Aracaju – 1,5 milhão – (reeleição)

Dagoberto – Campo Grande – 1,5 milhão

Goura – Curitiba – R$ 1,5 milhão

Juliana Brizola – Porto Alegre – R$ 1,5 milhão

Marta Rocha – Rio de Janeiro – ainda não declarou

Limite de gastos declarado pelos candidatos a prefeito de Fortaleza

Sarto – 14,1 milhões

Total de despesas contratadas – 150 mil*

Samuel Braga – não declarou limite de gastos

Renato Roseno – 14,1 milhões

Total de despesas contratadas – R$ 21 mil

Paula Colares – R$ 14,1 milhões

Total de despesas contratadas – R$ 5,00

José Louretto – não declarou limite de gastos

Heitor Freire – não declarou limite de gastos

Heitor Férrer – não declarou limite de gastos

Luizianne Lins – não declarou limite de gastos

Célio Studart – R$ 14,1 milhões

Total de despesas contratadas – R$ 17,9 mil

Capitão Wagner – R$ 14,1 milhões

Total de despesas contratadas – R$ 25 mil

Anízio Melo – R$ 14,1 milhões

Total de despesas contratadas – R$ 940

*valores referentes ao divulgado na plataforma Divulgacandcontas do TSE.

Deixe uma resposta