Luizianne Lins busca Heitor Férrer para compor chapa majoritária em Fortaleza, mas ele não aceita - Blog Edison Silva

Luizianne Lins busca Heitor Férrer para compor chapa majoritária em Fortaleza, mas ele não aceita

Heitor não aceitou o convite, mesmo Luizianne argumentando que a dupla poderia chegar ao segundo turno das eleições. Foto: Divulgação.

A deputada federal Luizianne Lins, pré-candidata à prefeita de Fortaleza pelo Partido dos Trabalhadores (PT), esteve reunida com o também pré-candidato a prefeito, deputado Heitor Férrer (SD), na manhã desta segunda-feira (14), em busca de consolidar uma chapa que garanta a presença da dupla no segundo turno das eleições deste ano. Heitor afirmou ao Blog do Edison Silva que irá para a disputa mesmo que isolado, e que não aceita ser candidato a vice de qualquer outra coligação.

Uma eventual aliança entre os dois seria a surpresa da disputa eleitoral deste ano, uma vez que uniria Luizianne Lins, que já foi prefeita de Fortaleza durante oito anos, e Heitor Férrer, médico, e que poderia utilizar seu histórico profissional a favor da chapa, visto a situação de pandemia ainda presente. Também uniria parte do eleitorado mais ao centro, conservador, ligado a Férrer, e àqueles da periferia, fiéis ao voto na sigla petista.

No pleito de 2016, Heitor Férrer ficou na quarta posição entre os candidatos daquela eleição, com 7,04% dos votos, enquanto que Luizianne Lins, esteve na terceira colocação, totalizando 15,6% dos sufrágios. O objetivo desta eventual chapa seria aumentar esse percentual e tentar colocar a dupla no segundo turno das eleições.

Vale ressaltar que em 2012, Heitor Férrer e o PT também estiveram na disputa eleitoral, sendo que o candidato petista, Elmano de Freitas, obteve 25,44% dos votos no primeiro turno, enquanto que Heitor, ficou na terceira colocação, com 20,97%, logo atrás de Roberto Cláudio, que acabou se consagrando vitorioso no segundo turno da campanha.

A questão é que Heitor Férrer não topa ser candidato a vice de Luizianne Lins em uma eventual composição com o PT ou em coligação com qualquer outra agremiação. “Em política, a conversa é o primeiro instrumento. A Luizianne me convidou, sentamos. Ela, naturalmente, querendo viabilizar e fortalecer sua chapa, me convidou para vice. E eu, naturalmente, digo que não serei. Não vou aceitar o convite de ser vice da Luizianne Lins, como de nenhum outro candidato. Essa é a resposta oficial, e dela não arredo um milímetro”, asseverou.

Deixe uma resposta