Vereadora de Fortaleza quer que a cloroquina seja adotada no protocolo de atendimento de toda rede de saúde municipal contra a Covid-19 - Blog Edison Silva

Vereadora de Fortaleza quer que a cloroquina seja adotada no protocolo de atendimento de toda rede de saúde municipal contra a Covid-19

Priscila disse que vai lutar pela aprovação da solicitação. Foto: Reprodução/Facebook.

A vereadora de Fortaleza, Priscila Costa (PSC), deu entrada em um requerimento pedindo que a hidroxicloroquina seja adotada no protocolo de atendimento de toda rede de saúde municipal contra a Covid-19. A parlamentar é uma das principais defensoras das ideias do presidente da República, Jair Bolsonaro, na Câmara Municipal.

Em sua sua justificativa, Costa afirma que vem acompanhando de perto cada descoberta a respeito do medicamento, como suas possibilidades e efeitos de cura nos pacientes que estão com coronavírus.
“Temos recebido com alegria relatos dos melhores hospitais do mundo acerca do efeito da hidroxicloroquina. O maior plano de saúde do Brasil, com especialidade em idosos, adotou o protocolo a partir do segundo a quarto dia de sintomas e o número de doentes em estados graves caiu consideravelmente, além disso o numero de curados vem aumentando vertiginosamente em poucos dias’’ disse a vereadora.
A vereadora bolsonarista acredita que com a regulamentação da hidroxicloroquina nos hospitais municipais, os médicos não serão impedidos de receitar o medicamento em comum acordo com os familiares dos pacientes, “quando ele achar que poderá ajudar, curar e até salvar o paciente que apresente os primeiros sintomas relacionados à Covid-19”.
Priscila diz ainda que através desse requerimento poderá diminuir a quantidade de tempo que é gasto por um paciente no leito de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), por exemplo. Segundo ela, o Ministério da Saúde já reconhece que o uso da cloroquina combinado com azitromicina diminui o tempo de um paciente na UTI, dando assim lugar naquele leito, para o próximo paciente que precisa de atendimento urgente.
’Eu vou lutar por esse requerimento. Eu quero sim que o paciente de bairros como Bom Jardim, Jatobá e Canidezinho, por exemplo, seja onde for, ele possa, na rede municipal, ter o mesmo acesso que a classe alta tem quando vai para um hospital particular. Que ele tenha acesso a esperança e a cura na nossa cidade de Fortaleza’’, destacou.

Deixe uma resposta