Vereadores de Fortaleza estão angustiados com indefinição sobre filiação partidária - Blog Edison Silva

Vereadores de Fortaleza estão angustiados com indefinição sobre filiação partidária

Vereadores da Câmara ao lado do prefeito Roberto Cláudio. Foto: Miguel Martins.

Faltando dez dias para o fim da chamada “janela partidária” muitos vereadores da Câmara Municipal de Fortaleza estão angustiados, pois ainda não conseguiram se firmar em uma agremiação que possa lhe dar condições de eleição no pleito de outubro próximo. Alguns deles aguardam diálogo com o prefeito Roberto Cláudio, principal liderança política da base governista (o prefeito ainda está recolhido por conta do coronavírus). Outros, porém, não encontram um “porto seguro” nas legendas que já conversaram.

De acordo com parlamentares ouvidos pelo Blog do Edison Silva, até esta sexta-feira (27), muitos já definirão para que partidos devem se filiar. Outros só fecharão questão na segunda-feira (30). De acordo com o calendário eleitoral, as filiações e desfiliações, sem punição por infidelidade partidária, devem acontecer até o dia 3 de abril próximo. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já afirmou que não vai alterar a data da “janela”.

Apesar das indefinições de alguns vereadores, toda a composição da Câmara Municipal deve ser alterada até o início de abril. O PRTB, por exemplo, deixará de existir. Paulo Martins, que foi eleito pela legenda, afirmou ao Blog que o mais provável é que ele ingresse no PDT. O próprio presidente da Casa, Antônio Henrique (PDT), esteve dialogando com Martins, Evaldo Costa (Republicanos) e Márcio Cruz (PSD). Os três são dados como certos na sigla pedetista.

Dr. Porto, também do PRTB, afirmou que está esperando diálogo com o prefeito Roberto Cláudio, e enquanto isso não acontece, “a angústia só aumenta”. José Freire (PODE) é outro que tende a ingressar no Progressistas (PP). O partido pretende atrair pelo menos 10% da composição da Casa, o que daria algo em torno de quatro vereadores. Benigno Júnior, do PSD, já confirmou ingresso no PP. Outros que devem seguir o mesmo caminho são: “Bá” do PTC, e Emanuel Acrízio, atualmente no PRP.

Cláudia Gomes, que também era do PTC, já migrou para o Democratas (DEM), partido presidido pelo seu marido, Marcílio Gomes, em Fortaleza. Marília do Posto (PRP) e Dummar Ribeiro (ex-Cidadania) estavam até o início da semana dialogando com Rede e PSB. A vereadora Priscila Costa, atualmente, no PRTB vai migrar para o Partido Social Cristão, o PSC.

Raimundo Filho, que também foi eleito pelo PRTB, também aguarda diálogo com o prefeito Roberto Cláudio, o que deve acontecer de forma virtual nos próximos dias. Ao Blog, o parlamentar chegou a confirmar ter recebido convite até do PCdoB, e que estaria avaliando tal possibilidade.

Correligionários

Idalmir Feitosa, atualmente, no PL, afirmou que não se sente representado pela legenda, e que sequer se reuniu com o partido para tratar de temas de seu mandato. Segundo ele, a tendência natural é que se filie ao PSD, presidido em Fortaleza pelo ex-deputado estadual Ely Aguiar. No início do ano, Feitosa chegou a conversar com lideranças do PSDB, mas seus correligionários o orientaram para não ingressar na sigla tucana.

O vereador Sargento Reginauro ingressou no PROS na semana passada. Com isso, a sigla passa a ter quatro membros na Casa. No entanto, Carlos Mesquita tende a deixar o partido e ingressar em sigla aliada de Roberto Cláudio. Casimiro Neto (MDB), Frota Cavalcante (PODE) e Jorge Pinheiro (DC) são outros que estão em busca de um novo partido para chamar de seu.

“Ainda não defini. Devo fechar nesta semana”, desconversou o vereador Jorge Pinheiro.

Filiação

No ano passado, o PPL deixou de existir, e com isso, Larissa Gaspar se filiou ao PT. A legenda, agora, possui três membros na Casa, com Larissa, Ronivaldo e Guilherme Sampaio. Os outros dois egressos do PPL, Ésio Feitosa e Gardel Rolim, migraram para o PDT. O PROS, com ingresso de Reginauro, e eventual saída de Mesquita, manterá os três quadros: Reginauro, Julierme Sena e Márcio Martins.

O PDT continua com a maior bancada da Casa. Com filiação de Eron Moreira no dia 12 de março passado, o partido passou a ter 11 membros na Câmara. Caso se confirme as filiações que ainda restam, a agremiação passará a ter 14 dos 43 vereadores do Legislativo da Capital cearense.

Deixe uma resposta