Heitor Férrer se anima após reunião com "Paulinho da Força", mas percebe dificuldade para encontrar aliados - Blog Edison Silva

Heitor Férrer se anima após reunião com “Paulinho da Força”, mas percebe dificuldade para encontrar aliados

Caso confirme candidatura, essa será a terceira tentativa do parlamentar para ser prefeito de Fortaleza. Foto: ALCE.

Depois de encontro que teve com o presidente nacional do Solidariedade (SD), Paulinho da Força, o pré-candidato a prefeito de Fortaleza, deputado Heitor Férrer (SD), se mostrou mais animado com a possibilidade de encabeçar uma chapa majoritária para o pleito do próximo ano.

O parlamentar também pontuou em pesquisas internas realizadas por alguns partidos cearenses, o que fez com que ele se animasse ainda mais, visto que, por enquanto, dos nomes já colocados, o deputado é quem tem menos estrutura para uma disputa eleitoral.

Férrer foi a Brasília a pedido do presidente estadual da legenda, Genecias Noronha (SD), e disse ter se surpreendido com o fato de Paulinho já conhecer seu trabalho como deputado estadual no Ceará. No entanto, Heitor destacou que sem recursos financeiros mínimos não existe possibilidade de entrar na disputa. “Temos que ter bons programas de governo, uma equipe para construir o programa para cidade, e recursos para a candidatura decolar”, disse.

Popularidade

De acordo com Férrer, a polarização entre PT e o anti-petismo deixa larga margem para outras candidaturas, dentre essas a dele. “Vou caminhando e pensando em construir um programa para Fortaleza, onde o princípio seja o empreendedorismo. Não me venha falar em paz sem pão na mesa, sem emprego e renda”.

No entanto, ele destacou a dificuldade que enfrentará caso se coloque como candidato a prefeito em 2020. Segundo ele, a realidade que se impõe coloca Capitão Wagner (PROS) de um lado, visto a popularidade que possui, e o candidato governista, que terá o apoio da máquina pública, bem como estará ligado às principais lideranças políticas do Estado.

Aliados

“Os partidos querem sombra e poder. Então, os outros partidos ficam minguados, mas não desanimam. Até porque eu preciso de um vice”, disse ele, destacando a possibilidade de aliança no próximo ano. “Nós vamos fazer um corpo para levar à cabeça. Os partidos grandes, no caso os aliados ao prefeito, procuram ter um corpo e o prefeito para ter tempo de televisão.”

Deixe uma resposta