Senadores de oposição destacam efeito negativo da Reforma da Previdência - Blog Edison Silva

Senadores de oposição destacam efeito negativo da Reforma da Previdência

CDH, Senado, Debate Reforma da Previdência. Foto: Agência Senado.

Comissão de Direitos Humanos do Senado (CDH) realizou nesta terça-feira (o3) a última audiência pública sobre a Reforma da Previdência (PEC 6/2019) antes da votação do relatório preliminar da proposta na Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ) do Senado.

Presentes na audiência, os senadores Paulo Paim (PT-RS), Zenaide Maia (Pros-RN), Jaques Wagner (PT-BA) e Rogério Carvalho (PT-SE) criticaram a proposta em análise no Senado por entenderem que terá um efeito negativo na área social, especialmente para os mais pobres e prometem articulação pela derrubada da PEC.

A votação da reforma está marcada para esta quarta-feira (04) na CCJ.

A proposta recebeu 394 emendas, em sua grande maioria da oposição. Paim reafirmou que se aprovada, a PEC vai prejudicar a maior parcela da sociedade.

“Eu tenho dito que essa votação da Reforma da Previdência é a votação das nossas vidas! Essa de fato vai atingir no mínimo 200 milhões de brasileiros, os outros 10 milhões que são super ricos, esses não estão preocupados. Mas o Brasil, como é o país com a maior concentração de renda do mundo vai ter impacto negativo com essa Reforma”, disse.

A senadora Zenaide Maia, do Pros do Rio Grande do Norte, disse que a Reforma vai destruir a economia dos pequenos municípios.”Ninguém pode acreditar que uma reforma da Previdência gera emprego. Se faz é tirar mais de 1 trilhão da economia! Vai terminar de falir os pequenos e médios municípios”, afirmou.

O senador Rogério Carvalho, do PT de Sergipe, alegou inconstitucionalidade na aprovação da reforma. “A reforma entra em vigor imediatamente com consequências que é o empobrecimento da população ou de um grupo populacional de grande vulnerabilidade de grande habilidade que são os mais idosos”, ponderou.

Já o senador Jaques Wagner, do PT da Bahia, pediu maior mobilização das pessoas nas ruas contra a reforma. “Mas a nossa batalha aqui pesa muito pouco se a batalha da rua, se a batalha nos Estados não estiver sendo construída”, disse Wagner.

As bancadas do PT, PSB PDT, PROS e Rede Sustentabilidade articulam estratégias para a votação da Reforma da Previdência prevista para esta quarta-feira na Comissão de Constituição e Justiça.

Com informações da Agência Senado

Deixe uma resposta