Manutenção da transposição será paga com aumento na conta da população. Heitor critica a demora da obra - Blog Edison Silva

Manutenção da transposição será paga com aumento na conta da população. Heitor critica a demora da obra

Deputado estadual Marcos Sobreira /Foto: AL

A conta de energia deverá ficar mais cara para a população da Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará e Pernambuco após a conclusão da transposição de águas do Rio São Francisco, para esses estados. O custo estimado para manter o bombeamento das águas através é estimado em R$ 600 milhões anuais, valor que deverá ser dividido entre os quatro estados e recair sobre a conta de luz do consumidor, informação já destacada por este Blog.

Segundo o deputado estadual Marcos Sobreira (PDT), os quatro estados buscarão um ajuste entre eles levando em conta a quantidade de metros cúbicos de água destinados a cada um deles. “Será feito um ajuste entre os estados pela quantidade de água recebida, pela quantidade de metros cúbicos recebido. Então, vai ter uma definição de valores dos estados e cada estado vai fazer o reajuste com o consumidor”, disse o pedetista.

Sobreira explica ainda que os deputados estaduais têm a intenção de reduzir esse custo ao consumidor, no entanto, ainda que passe a mexer no bolso no consumidor, a conclusão da obra não deverá resolver os problemas de abastecimento do Ceará. Segundo o pedetista, a transposição e o Cinturão das Águas são obras que se complementam.

“Se a transposição chegar ao Ceará e a obra do Cinturão das Águas (CAC) não estiver pronta. Nós vamos enxugar gelo, vai ser seis por meia dúzia e não vai ter efetividade, que é o benefício que são as águas chegarem ao açude Castanhão”, disse Marcos. Apesar da importância da obra, o Cinturão das Águas segue estagnado devido à falta de recursos para seguir com a obra.

Sobreira explica que a Comissão Especial de Acompanhamento das Obras da Transposição do Rio São Francisco, liderada pelo deputado Wellington Landim (PDT), deverá recorrer ao governo federal para garantir uma parte dos R$ 500 milhões, garantidos pelo Palácio do Planalto, seja investida na conclusão do Cinturão das Águas.

“Nós queremos sensibilizar o governo federal que não basta garantir recursos para a transposição, tem que garantir recursos para o Cinturão das Águas também”, explica Sobreira.

O deputado Heitor Férrer destacou a demora na conclusão das obras da transposição de águas do Rio São Francisco para o Ceará. Heitor fez um relato histórico da obra, citando notícias dos jornais da cidade, para ao fim reclamar do Governo Federal uma solução para o problema.

Deixe uma resposta