Os encantos de Gyeonsang - Blog Edison Silva

Os encantos de Gyeonsang

Por: A.Capibaribe Neto –  Os encantos de Gyeonsang

A Coreia do Sul tem outros encantos além de Seoul, sua Moderna capital, ali, colada à sua irmã do Norte, ainda proibida para o resto do mundo, mas ensaiando os primeiros passos para a reunificação de seus habitantes. As opções de lugares cheios de encantos e atrações é imensa. Ao longo da nossa segunda passagem por esses país, dando uma olhada no mapa, para descobrir o que havia nas proximidades da capital, um nome nos chamou a atenção: Gyeongsang, a pouco mais de quatro horas de ônibus desde a estação terminal de Seoul.

E lá fomo nós.

Antes de 1895, a área correspondente ao atual Gyeongsangnam-do fazia parte da província de Gyeongsang , uma das oito províncias da Coréia durante a dinastia Joseon . Em 1895, o sul de Gyeongsang foi substituído pelos distritos de Jinju, no oeste, e Dongnae (atual Busan), no leste. Em 1896, eles foram fundidos para formar Gyeongsangnam-do. A capital da província era originalmente em Jinju; mudou-se em 1925 para Busan. Em 1948, Gyeongsangnam-do tornou-se parte da Coreia do Sul . Em 1963, Busan se separou de Gyeongsangnam-do para se tornar uma cidade diretamente governada ( Jikhalsi ). Em 1983, a capital provincial mudou-se de Busan para Changwon. Em 1995, Busan se tornou uma cidade metropolitana (Gwangyeoksi), e Ulsan se separou de Gyeongsangnam-do para se tornar uma cidade metropolitana em 1997. Gyeongsangnam-do é a casa de Haeinsa , um templo budista que abriga o Tripitaka Koreana e atrai muitos turistas. Está no parque nacional ao redor de Jirisan (1,915 m) na borda com Jeollabuk-do. O templo foi construído em 802.

O condado de Changnyeong contém três grandes atrações turísticas para a província: o pantanal de Upo , as nascentes naturais de Bugok e a montanha de Hwawang. O lugar não consta como atração turística para os mortais comuns, mas um tipo de viajor como assumimos ser, são lugares assim que facilitam nossa caça às imagens. Uma dificuldade para os afoitos como nós: são raras as pessoas que falam inglês na província.

Texto e Fotos: A.Capibaribe Neto.

Deixe uma resposta