Ministro Raul Araújo recebe homenagem no plenário da Assembleia Legislativa - Blog Edison Silva

Ministro Raul Araújo recebe homenagem no plenário da Assembleia Legislativa

Ministro Raul Araújo, do Superior Tribunal de Justiça, falando no plenário da Assembleia, quando era homenageado Foto: Assessoria da Assembleia/José Leomar

O ministro Raul Araújo, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), recebeu ontem a  Medalha de Mérito Parlamentar Plenário 13 de Maio, em sessão solene no plenário da Assembleia Legislativa, prestigiada por representantes do Tribunal de Justiça do Ceará, da Justiça Federal, do Ministério Público, familiares e amigos. A medalha é concedida por deliberação da Mesa Diretora, e é considerada a maior Comenda Legislativa do Estado, entregue apenas uma vez por ano.

A Medalha de Mérito Parlamentar Plenário 13 de Maio faz referência a uma das datas mais importantes da história do Brasil, quando foi assinada a Lei Áurea, em 13 de maio de 1888, ressaltado pelo ministro em seu pronunciamento. A homenagem aconteceu em razão de uma proposição do deputado estadual Joaquim Noronha (PRP), aprovada pela unanimidade dos deputados. Noronha afirmou que a homenagem é muito justa, pois reconhece o trabalho feito pelo ministro para o Ceará e para o País. Ele destacou a trajetória do homenageado,  enfatizando ser “uma história muito longa, de muita luta e uma história vitoriosa”.

O ministro Raul Araújo, em seu pronunciamento, disse receber com grande alegria a maior comenda concedida pela Assembleia Legislativa do Ceará, que faz referência à data da assinatura da Lei Áurea, e lembrou que o Ceará foi pioneiro ao libertar os escravos quatro anos antes do restante do País. Raul falou da sua trajetória na vida pública, que começou em 1984, como promotor de justiça, em várias comarcas do Interior, além de sua passagem pela Procuradoria Geral do Estado, pelo Tribunal de Justiça do Estado, de onde saiu para ocupar uma cadeira no Superior Tribunal de Justiça, onde, segundo afirmou, tem o seu gabinete como extensão do Ceará, lembrando que também é assim o gabinete do outro cearense naquele Tribunal, o ministro Napoleão Maia, e como era do ministro Cesar Asfor Rocha.

 

Deixe uma resposta