Ciro volta ao Brasil domingo e vai ser citado em processo movido por Doria - Blog Edison Silva

Ciro volta ao Brasil domingo e vai ser citado em processo movido por Doria

Ciro Gomes ainda está fora do Brasil, mas o seu regresso está previsto para o próximo domingo, devendo ficar em Fortaleza, para as festas de Natal e Ano Novo, quando prestigiará a posse do governador Camilo Santana, no dia primeiro de janeiro, para o seu segundo mandato. Ciro até a semana passada, na Capital cearense, guardava repouso da cirurgia de próstata a que foi submetido em São Paulo, no mês passado.

Ciro, segundo aliados seus, só retomará a agenda política a partir de fevereiro, após a abertura dos trabalhos do Congresso Nacional, quando então reforçará os contatos do seu irmão Cid Gomes, eleito senador pelo Ceará, de formação de uma base de oposição ao Governo Bolsonaro, sem a participação do PT no Senado. As relações de Ciro com deputados federais do PDT e de outras agremiações, chamam-no para entendimentos na Câmara e com  dirigentes partidários, no mesmo propósito do trabalho de Cid.

Hoje, pela imprensa nacional, foi tornada pública a decisão da juíza Simone de Faria Ferraz, da 16ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, recebendo a Ação Penal Privada movida pelo governador eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), contra Ciro Gomes. Segundo o despacho da magistrada, Ciro, após intimado, terá dez dias para apresentar sua defesa, sob pena ser nomeado um Defensor Público para defende-lo das acusações de ter caluniado e difamado o tucana em mais de uma oportunidade, inclusive chamando o governador eleito de São Paulo de ‘farsante’, ‘despreparado’ e ‘engomadinho’.

Matéria no site  do jornal O Estado de São Paulo dá conta de que o advogado Fernando José da Costa, representando Doria, cita evento na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), em maio de 2017, no qual Ciro teria dito que a fortuna de Doria veio de ‘lobby’ e ‘tráfico de influência’ e ‘dinheiro público dos governos do PSDB de São Paulo e Minas Gerais’. Durante a palestra, Ciro teria dito que ‘esses piqueniques de barão que ele (Doria) promove tudo é financiado por dinheiro público’, alegam os advogados de Doria.

Os advogados de Doria também citam fala do pedetista no qual ele afirma preferir ‘mil vezes um cara como Bolsonaro do que um farsante como Doria’ durante evento do PDT em Brasília, no qual foi nomeado vice-presidente do partido.

Foto: Divulgação.

 

Deixe uma resposta